TBN2NET - Atualizações

1 milhões de comentários

Seguindo com as atualizações do TBN2NET!!! Download


Agora, foi a vez do MASSCALC ser incorporado ao TBN2NET, então se você tem o MASSCALC licenciado, entre em contato comigo para procedimentos de atualização da licença.


Também foi atualizado o NOTASERV, que agora também extrai os valores das flechas das curvas verticais. Nele ainda melhorei o sistem a de configurações do numero de casas decimais, formatos de estacas (index, decimal, station format), bem como o tratamento de templates de notas de serviço que estão no rodapé:


Agora as subasemblies fazem parte do pacote, me facilitando o trabalho de atualizações.

Nestas, agora o subassembly de ferrovia tem dois modos de definir as larguras dos ombros de lastro, sublastro e reforço, além do reforço também contar com target de largura.
Incluí também um subasembly para muros verticais, que faz falta as vezes.

No mais, é isso!! Fique sempre atento para a menságem de atualização que o programa dá:


Exploração, licenças caras e outros bichos

5 milhões de comentários
Hoje eu vi um comentário  numa postagem minha.

A minha posição é:

Tem?
Bom, vamos lá

Manter atualizações numa mesma versão tem custo.

criar ferramentas novas no mesmo produto também.
 
Acredito que algunas "novas" ferramentas não passam de atualizações das existentes, portanto vender como uma nova ferramente é exploração (seria este o nome?)

A contradição some quando separamos os conceitos de ATUALIZAÇÃO e NOVO, não acha?

Eu tenho este pensamento e sim, meus aplicativos baseados nos produtos da Autodesk tem custo para atualização da LICENÇA para NOVAS VERSÕES, explico:

Portar um programa escrito para uma versão do cad para outra nem sempre é facil e coisas que antes funcionavam, simplesmente páram e você tem que reescrever partes do código.

Exemplo: o EXPGE. Ele é basicamente o mesmo programa a uns 5 anos já. Houveram várias atualizações, você pode ver todas elas no arquivo expge.txt que está no pacote algumas atualizações eu nem marquei lá, então, teria muito mais.... Agora, são atualizações e correções de bugs. Se você adquiriu a licença dele em 2006, ela ainda funciona no AutoCAD 2012, assim como no 2000!!!

Não cobrei nada de nenhum dos assinantes do programa por qualquer uma das atualizações por não considerar nada como "novo" e sim como "atualização"

Mas, então quem paga essa atualização? As novas licenças, claro. Felizmente é um programa com excelente saída!!!

Outros exemplos: TBN2NET e C3DRENESG. Tem versões especificas para cada versão do Civil 3D, desde o 2008 ao 2012. Coisas que funcionam no 2008 de uma forma, precisa ser refeito de outra no 2009 e refeito no 2010 e assim por diante.... Exemplo: no NOTASERV, Como obter a área da seção transversal do material de corte numa sampleline? NO 2011/2012 é simples, tem uma função pra isso na API de programação, mas no 2008, 2009, 2010, não tem e eu preciso escrever um código que beira a gambiarra para obter isso.... Outro exemplo, no C3DRENESG, como substituir um tubo? no 2009 em diante, tem uma função pra isso, mas no 2008 não, eu tenho de apagar o tubo, criar outro novo e refazer todas as conexões...

Então nestes casos, não considero ATUALIZAÇÃO, mas sim NOVO. Isso sem contar as NOVAS funções incluidas e não cobradas dentro da MESMA versão. Se você ler o log de atualizações de ambos, verá a palavra NOVO várias vezes.

Neste caso, quam paga essas atualizações?

Novas licenças e indiretamente os assinantes que atualizam a VERSÃO do Civil 3D. A Autodesk faz isso por meio do Subscription. O meu modelo de negócio é parecido, pois eu cobro uma fração da licença pela atualização.

É um modelo falho? Sim, é, mas e se fosse como o modelo da Microsoft? Cada versão nova do Office é uma licença que você compra certo (me corrija se estiver errado)? Eu uso o 2003 ainda é a melhor versão do Office a meu ver... A M$ ainda dá suporte a ela, ainda atualiza ela gratuitamente, mas se eu quiser o 2010, terei de pagar...

Ah, claro, o preço... Muitos me perguntam o preço dos meus programas e ao ouvirem, dizem: nooooooooooooooooooooosa  que caro!!!!

Tá, defina caro.

Para muitos daquels que disseram  isso eu ofereci trabalho e perguntei o preço.... Projetinho de drenagm, 2000 metros de rede. 5 mil? quanto tempo leva pra fazer com o C3DRENESG? 2 dias? SEM ELE? UMA SEMANA? é o dobro do preço do C3DRENESG.... 

Notas de serviço? modelo DER/DNIT? modelo prefeitura de QualQuerLugarlLopolis? no Acre, Faz? Faz... Este é o serviço do estagiário, uma semana pra fazer na mão usando os reports, pois é um tal de copy/paste em diversos reports diferentes e traduções de inglêspara português.... Com o Notaserv? meia duzia de cliques e pronto. Traduza o tempo economizado do estagiário, que ganha ai seus 10 pilas a hora... você vai achar barato....

Expge? use o trakmaker, nao use o expge.... antes ache alguem que saiba fazer isso direito, depois configure os layers como você quer.... e claro, converta com ele também os KMLs do google earth para o autocad, novamente compute o TEMPO gasto para fazer em outras soluções com o tempo gasto pra fazer com o expge.... É caro?

É... você concorda comigo? legal!! Não? Otimo!!! Quero suas idéias!!!! Comente!!

Civil 3D -more fails....

0 milhões de comentários
Já teve situações onde o seu desenho parece que tá bichado? Tipo, estruturas que não conectam com tubos, tubos sem o blips de início e fim, corredores que somem, perfis de superfície que ficam editáveis e perfis de greide que não editam, pontos que somem edições de superfícies que não funcionam, estilos malucos, layers que não apagam.... 


Isso ainda sem contar lentidão inexplicável em máquinas potentes...

Muitas vezes é o caso de um simples AUDIT, por exemplo, abri um desenho meu qualquer e rodei o audit:

Pass 1 3300    objects auditedAcDbViewport(2F7D2)
           Paperspace vport layer Not "0"               "0"
Pass 1 8900    objects auditedAeccDbStructure(715D1)
                     XData Handle Unknown               Null
AeccDbStructure(715D1)

Então.. pau em viewports, xdatas, paperspace, estruturas das pipenetworks...

É, nem só de PURGE vive o autocad, também tem o AUDIT!!!

Um erro estranho introduzido no AutoCAD 2012 que eu também já tive: ocomando DDEDIT faz o texto sumir, não editar, ou dizer o que o objeto está em modo READ ou coisa assim.... Neste caso, basta mudar a variável de sistema DTEXTED para 1. Ela faz o editor do comando ser aquela caixinha tosca do cad 14....

Outro erro besta que aparece aqui de vez em sempre que conecto um projetor no notebook e a resolução fica em 1024x768: Unhandled exception e0434352h, se bem que esse aparentemente tem a ver com o .NET Framework... ele começou a aparecer depois que apliquei as atualizações do civil 3d 2012, até voltei pro estado anterior, o que resolveu em parte, agora so trava ao mudar a resolução....

Outro erro esquisito foi com a variavel VIEWRES, esse eu não lembro bem o por quê, mas parece que dava pau na hora de salvar...

Fica aí umas dicas pra quem tá com problemas parecidos...

Tem algum problema que resolveu? mande aí pra gente!!!

Partbuilder?

2 milhões de comentários
 A uns dias que estou quebrando a cabeça com o partbuilder do civil 3d...
Bom, imagino que alguns já tenham se aventurado a usar... se não, ecesse ele no menu pipes:
Ele é quem cria os tubos e estruturas do pipenetwork do civil 3d

Essa ferramenta tem muito potencial, mas se você acessar ele e tiver curiosidade de procurar no google sobre... bem verá que não é tão simples...

Se você mexeu/mexe com esse troço e quer trocar umas idéias, mande-me um email. Preciso de gente que saiba usar ele

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...